Jornal Agora | Trotes no 190 levam a registro na DP
 
fechar
fechar

Seu voto foi registrado. Agradecemos sua participação.

Seu voto já foi computado nas últimas 24 horas.

Resultado parcial

Atenção: o resultado desta enquete não tem valor de amostragem científica e se refere apenas a um grupo de
                 leitores do Agora Online.
Redes sociais
voltar

Plantão

- 10-01-2017 - 19h42min
fechar
enviar Máximo 500 caracteres
* Ao enviar qualquer comentário, o usuário declara-se ciente e aceita integralmente o termo de uso
fechar

Comunicar erro

Se você encontrou alguma informação que esteja errada, utilize este espaço para reportar erros.

enviar Máximo 500 caracteres
fechar

Envie esta notícia para um amigo

» Adicionar mais um destinatário

enviar Máximo 500 caracteres

Trotes no 190 levam a registro na DP

fechar

Galeria de vídeo

fechar

Galeria de áudios

O Policial Militar Gilmar Veleda comunicou para a Polícia que estava de serviço de telefonista, no Quartel da Brigada Militar, onde recebeu várias ligações com “trotes”. A partir disso, resolveu ligar para o referido número de telefone e foi atendido pelo proprietário que se disse motorista de táxi. O policial, conforme informou ao inspetor de plantão, disse ao identificado que tais trotes poderiam terminar prejudicando outras pessoas, considerando que, enquanto o telefone estivesse ocupado, poderia haver alguém necessitando ajuda, mas não conseguindo se comunicar com o pelotão por causa disso. Como resposta, terminou sendo ofendido pelo proprietário do telefone e, portanto, pediu providências à polícia.

APROVEITOU O FREGUÊS PARA TESTAR A BOMBA 

J.D.N. esteve na delegacia para comunicar que, ao abastecer seu carro, surpreendeu-se quando o frentista lhe informou que havia colocando 66.83 litros no tanque do seu veículo, posto que a capacidade do carro é de 58 litros. Quando questionou a aferição da bomba, viu que o frentista havia colocado gasolina em um galão de 20 litros e, então, resolveu reclamar para uma mulher que se encontrava no posto e que seria a gerente do estabelecimento. No entanto, a gerente não tomou nenhuma providência a respeito, alegando que, se o tal galão apontou a exatidão da gasolina recebida, era porque a bomba estava correta e que, obviamente, ele teria de pagar o valor registrado. Indignado, o consumidor sentiu-se lesado e resolveu realizar o registro policial.

DANO EM ESTABELECIMENTO

A proprietária de um estabelecimento comercial, localizado no centro da cidade, comunicou à polícia que, durante a madrugada, recebeu telefonema, informando que sua loja havia sido arrombada, através da porta da frente. Ao chegar no local, constatou que, realmente, alguém havia arrombado a porta, mas nada foi levado e que o criminoso foi identificado por meio de câmaras de monitoramento. O registro foi realizado a partir dos danos causados ao estabelecimento.


comente Comentários(0)

Participe


Sua opinião Agora

No dia 12 de janeiro, o prefeito Alexandre Lindenmeyer tornou pública a decisão do Executivo em não destinar verba para o Carnaval Oficial do Município. Após o anúncio, a Liga Independente das Escolas e Entidades do Samba do Rio Grande (Lieesa) decidiu não realizar o evento. O que você achou da decisão do Executivo de não destinar verba pública para o Carnaval?

resultado votar
Veja mais

Plantão



Comparte Jornal Agora - Todos os direitos reservados