Jornal Agora | Iceberg gigante está prestes a se soltar na Antárt ...
 
fechar
fechar

Seu voto foi registrado. Agradecemos sua participação.

Seu voto já foi computado nas últimas 24 horas.

Resultado parcial

Atenção: o resultado desta enquete não tem valor de amostragem científica e se refere apenas a um grupo de
                 leitores do Agora Online.
Redes sociais
voltar

MEIO AMBIENTE

- 11-01-2017 - 20h20min
fechar
enviar Máximo 500 caracteres
* Ao enviar qualquer comentário, o usuário declara-se ciente e aceita integralmente o termo de uso
fechar

Comunicar erro

Se você encontrou alguma informação que esteja errada, utilize este espaço para reportar erros.

enviar Máximo 500 caracteres
fechar

Envie esta notícia para um amigo

» Adicionar mais um destinatário

enviar Máximo 500 caracteres

Iceberg gigante está prestes a se soltar na Antártida

Especialistas não conseguiram estimar uma data exata para o rompimento, mas estima-se que acontecerá nos próximos meses
fechar

Galeria de vídeo

fechar

Galeria de áudios

Um iceberg de quase cinco mil metros quadrados, equivalente ao tamanho do Distrito Federal, está prestes a se soltar da plataforma de gelo Larsen C, a maior da Antártida. Os especialistas não conseguiram estimar uma data exata para o rompimento, mas estima-se que acontecerá nos próximos meses. As informações são da Agência Ansa.

Apenas uma área de 20 quilômetros está prendendo um dos maiores icebergs da Terra à plataforma de gelo. Essas plataformas na Antártida são placas de gelo flutuantes sobre o oceano e não fazem parte do continente. Por isso, o maior temor – o de aumentar o nível do mar-, pode ser descartado, pois elas já integram o volume do mar.

No entanto, uma possível consequência negativa acontecerá caso as áreas desprendidas afetem as geleiras continentais. O escoamento dessas geleiras, que eram "barradas" pelas plataformas de gelo, começariam a desbocar diretamente no oceano e começariam a derreter, consequentemente, aumentariam o nível do mar.   Os rompimentos de plataformas da Antártida começaram em 1995, com o rompimento da Larsen A, e depois em 2002, com a Larsen B.

No entanto, a opinião dos cientistas diverge muito quanto à principal causa das rachaduras: há quem culpe o aquecimento global, outros acreditam que seja apenas uma mudança geográfica natural. De qualquer forma, o desprendimento dessa imensa porção de gelo flutuante mudará significativamente o cenário do continente gelado.

Por Ag. Brasil


comente Comentários(2)

Participe


Sua opinião Agora

A polêmica criação de uma faixa, com cerca de 800m, de exclusão de veículos na Praia do Cassino – entre as ruas Rio de Janeiro e Pelotas – vem dividindo opiniões. O Agora quer saber qual é a sua posição:

resultado votar
Veja mais

Plantão



Comparte Jornal Agora - Todos os direitos reservados