Jornal Agora | Em cerimônia fúnebre, autoridades relembram atuaçã ...
 
fechar
fechar

Seu voto foi registrado. Agradecemos sua participação.

Seu voto já foi computado nas últimas 24 horas.

Resultado parcial

Atenção: o resultado desta enquete não tem valor de amostragem científica e se refere apenas a um grupo de
                 leitores do Agora Online.
Redes sociais
voltar

PORTUGAL

- 10-01-2017 - 20h40min
fechar
enviar Máximo 500 caracteres
* Ao enviar qualquer comentário, o usuário declara-se ciente e aceita integralmente o termo de uso
fechar

Comunicar erro

Se você encontrou alguma informação que esteja errada, utilize este espaço para reportar erros.

enviar Máximo 500 caracteres
fechar

Envie esta notícia para um amigo

» Adicionar mais um destinatário

enviar Máximo 500 caracteres

Em cerimônia fúnebre, autoridades relembram atuação política de Mário Soares

Mais de 500 convidados participaram das homenagens, segundo a Agência Lusa
fechar

Galeria de vídeo

fechar

Galeria de áudios

fechar
Foto: Beto Barata/PR

Solenidade ocorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa

Foto: Beto Barata/PR

Em cerimônia fúnebre, autoridades relembram atuação política de Mário Soares

Solenidade ocorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa

As cerimônias fúnebres em homenagem ao ex-presidente de Portugal Mário Soares foram encerradas por volta das 14h (horário local) e foram marcadas por discursos de autoridades portuguesas que relembraram a trajetória política de Soares.

Os ritos começaram pontualmente as 13h (horário local), com a chegada do caixão, carregado por militares, ao pátio interior do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa. Mais de 500 convidados participaram das homenagens, segundo a Agência Lusa.

Durante as homenagens, João e Isabel Soares, filhos de Mário Soares, fizeram declarações emocionadas, ressaltando a admiração e ternura que sentiam pelo pai. Com a voz embargada, Isabel lembrou os "tempos difíceis" de quando o pai foi preso e a deportação dele para São Tomé Príncipe, o exílio em Paris mas, frisou que "nem durante esse tempo" ouviu do pai um "uma palavra de desalento ou desânimo".

Também discursaram o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e o atual presidente do país, Marcelo Rebelo de Sousa, que destacou que Soares foi "um homem que fez história" e merecia ser homenageado em um lugar como o Mosteiro dos Jerónimos.

O presidente do Brasil, Michel Temer, participou da cerimônia, ao lado do ex-presidente José Sarney. Também estiveram presentes o embaixador do Brasil em Lisboa, Luiz Alberto Figueiredo Machado, o rei Felipe VI, da Espanha, o ex-primeiro-ministro francês Lionel Jospin, o presidente da Comissão Europeia Jacques Santer, o ex-presidente do Governo espanhol e ex-líder do PSOE, Felipe Gonzalez.

Temer ressaltou que Soares foi uma figura importante no cenário internacional e intensificou as relações entre Portugal e Brasil. Ele deu a declaração após encontro com o presidente português Marcelo Rebelo.

O presidente Michel Temer, junto com a comitiva brasileira, se dirigiu à Base Aérea Figo Maduro. Temer e as autoridades retornarão ao Brasil nas próximas horas

TRAJETÓRIA POLÍTICA

Mário Soares morreu na tarde de sábado (7), aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, onde estava internado desde o dia 13 de dezembro. O governo de Portugal decretou luto oficial de 3 dias. Ele é considerado um dos grandes nomes da democracia portuguesa. Lutou contra a ditadura na década de 70, foi preso e exilou-se na França. Voltou a Portugal, onde construiu uma respeitável trajetória política, tendo sido ministro dos negócios estrangeiros, presidente da República e primeiro-ministro. Soares também é lembrado por ter encabeçado o processo de adesão de Portugal à União Europeia.

Por Ag. Brasil


comente Comentários(0)

Participe


Sua opinião Agora

Você acha que os mandatos dos vereadores Batatinha e João da Barra devem ser cassados?

resultado votar
Veja mais

Plantão



Comparte Jornal Agora - Todos os direitos reservados