Jornal Agora | Aumento de combustível leva a saques no centro do ...
 
fechar
fechar

Seu voto foi registrado. Agradecemos sua participação.

Seu voto já foi computado nas últimas 24 horas.

Resultado parcial

Atenção: o resultado desta enquete não tem valor de amostragem científica e se refere apenas a um grupo de
                 leitores do Agora Online.
Redes sociais
voltar

PROTESTO

- 06-01-2017 - 23h25min
fechar
enviar Máximo 500 caracteres
* Ao enviar qualquer comentário, o usuário declara-se ciente e aceita integralmente o termo de uso
fechar

Comunicar erro

Se você encontrou alguma informação que esteja errada, utilize este espaço para reportar erros.

enviar Máximo 500 caracteres
fechar

Envie esta notícia para um amigo

» Adicionar mais um destinatário

enviar Máximo 500 caracteres

Aumento de combustível leva a saques no centro do México

fechar

Galeria de vídeo

fechar

Galeria de áudios

Dezenas de lojas foram saqueadas e cerca de 200 pessoas detidas no México em meio aos protestos contra o aumento dos preços dos combustíveis. A informação é da Agência France Press (AFP). O aumento dos combustíveis, de até 20,1%, entrou em vigor em 1º de janeiro e, desde então, pequenos grupos de manifestantes estão impedindo a venda em alguns postos de gasolina e bloqueando algumas estradas.

Na quarta-feira (4), lojas de quatro municípios do estado do México, vizinho da Cidade do México, sofreram com arrastões e saques de pessoas em motos e até em caminhonetes. "Com o pretexto de protestar, algumas pessoas roubaram e cometeram atos de vandaismo", disse o governo do estado do México em comunicado. Até o momento, segundo a nota, foram detidas 161 pessoas, sendo que 35 menores de idade. Na Cidade do México, 23 lojas foram saqueadas e 64 pessoas detidas.

A secretaria de Governo assegurou que a polícia da capital fará tudo para evitar novos saques e insistiu que os comerciantes abram suas lojas normalmente. O presidente Enrique Peña Nieto disse que compreende o aborrecimento sofrido pelos cidadãos diante da situação, comentando pela primeira vez o tema em nota à imprensa. "Compreendo o aborrecimento e a revolta que há entre a população em geral e distintos setores da nossa socieade, mas apelo à compreensão de todos", declarou, tentando explicar a decisão de aumentar os preços dos combustíveis.

De acordo com ele, não se trata de um aumento resultante das reformas no setor energético ou fiscal, e sim consequência do aumento dos preços internacionais da gasolina.

Por Ag. Brasil


comente Comentários(1)

Participe


Sua opinião Agora

Você acha que os mandatos dos vereadores Batatinha e João da Barra devem ser cassados?

resultado votar
Veja mais

Plantão



Comparte Jornal Agora - Todos os direitos reservados