Jornal Agora | Acadêmicos celebram Abril Indígena na Furg
 
fechar
fechar

Seu voto foi registrado. Agradecemos sua participação.

Seu voto já foi computado nas últimas 24 horas.

Resultado parcial

Atenção: o resultado desta enquete não tem valor de amostragem científica e se refere apenas a um grupo de
                 leitores do Agora Online.
Redes sociais
voltar

DIA DO ÍNDIO

- 19-04-2017 - 17h45min
fechar
enviar Máximo 500 caracteres
* Ao enviar qualquer comentário, o usuário declara-se ciente e aceita integralmente o termo de uso
fechar

Comunicar erro

Se você encontrou alguma informação que esteja errada, utilize este espaço para reportar erros.

enviar Máximo 500 caracteres
fechar

Envie esta notícia para um amigo

» Adicionar mais um destinatário

enviar Máximo 500 caracteres

Acadêmicos celebram Abril Indígena na Furg

fechar

Galeria de vídeo

fechar

Galeria de áudios

fechar

Galeria de fotos

Foto: ACS Furg

Na Furg, estão representadas as etnias Kaingang, Guarani e Pankará

  • Na Furg, estão representadas as etnias Kaingang, Guarani e Pankará Conforme o acadêmico do Direito Jocemar Kaingang Cadete, a intenção do Abril Indígena é chamar a atenção do público da Furg para a cultura indigenista

ACS Furg

Acadêmicos celebram Abril Indígena na Furg

Na Furg, estão representadas as etnias Kaingang, Guarani e Pankará

O Coletivo Indígena da Universidade Federal do Rio Grande (Furg), com apoio da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae), abriu, ontem (19), Dia do Índio, as comemorações do Abril Indígena na Universidade. As atividades começam com exposição no Centro de Convivência, mostrando fotos dos 32 acadêmicos indígenas da Furg, e imagens das aldeias e do cotidiano das diversas etnias. Na Furg, estão representadas as etnias Kaingang, Guarani e Pankará.

Conforme o acadêmico do Direito, Jocemar Kaingang Cadete, a intenção do Abril Indígena é chamar a atenção do público da Furg para a cultura indigenista. “Muitos estudantes e servidores da Furg nem sabem que temos 32 indígenas aqui”, disse Jocemar. Ele e os colegas das três etnias pretendem mostrar principalmente a luta e a resistência dos índios brasileiros, promovendo a permanência de todos na Universidade e abrindo mais espaço para os futuros acadêmicos indígenas.

O reitor em exercício, Danilo Giroldo, participou da abertura do Abril Indígena e destacou a “maturidade do Coletivo, pela iniciativa da organização das celebrações”, com ênfase na valorização da própria cultura. Giroldo entende que essas ações são pedagógicas não só para os organizadores, mas também para toda a comunidade universitária que pode aprender com a cultura dos índios.

A pró-reitora de Assuntos Estudantis, Daiane Gautério, destacou o fortalecimento da identidade e da cultura indígenas por ações como essa e lembrou que os acadêmicos promovem atividades durante todo o ano. A diretora de Desenvolvimento dos Estudantes, Sirlei Schirmer, por sua vez, ressaltou a valorização da história indígena e a interação dos acadêmicos com o restante da comunidade universitária.

Janete Moraes é da etnia Guarani e acadêmica de Direito e se mostrou feliz pela oportunidade de mostrar a cultura indígena. Ela lembra que as comunidades solicitam vagas nas universidades conforme as necessidades das aldeias, para onde os acadêmicos pretendem voltar ao concluírem os cursos.

Debate e Almoço

O Abril Indígena ocorre nacionalmente, em todas as instituições de Ensino Superior que têm estudantes indígenas. No dia 27, o Coletivo Indígena promoverá um cine-debate, com exibição do documentário “Índios no Poder”, seguido de discussões sobre o tema, no auditório da Faculdade de Direito, às 19h. Toda a comunidade universitária está convidada a participar. Ainda na programação, no dia 29, haverá almoço típico indígena no Restaurante Universitário.

Fonte: ACS Furg


comente Comentários(0)

Participe


Sua opinião Agora

Você acha que os mandatos dos vereadores Batatinha e João da Barra devem ser cassados?

resultado votar
Veja mais

Plantão



Comparte Jornal Agora - Todos os direitos reservados